4ª edição do Seminário de Capacitação em HIV – Aprimorando o Debate III sobre o tema “Assistência e Linhas de Cuidado”

Após a Conferência Internacional de AIDS, organizada pela International AIDS Society (IAS 2019), na Cidade do México, a Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA) vai realizar nos dias 21, 22 e 23/08, a 4ª edição do Seminário de Capacitação em HIV – Aprimorando o Debate III sobre o tema “Assistência e Linhas de Cuidado” em Porto Alegre (RS). O evento é gratuito e acontecerá no Plaza São Rafael Hotel na Avenida Alberto Bins, nº 514 (Centro Histórico).

O país registrou um aumento de 21% dos novos casos de infecção por HIV nos últimos oito anos e a taxa de mortalidade por AIDS é 12 mil casos por ano. O Rio Grande do Sul é um dos piores estados brasileiros no que diz respeito à doença.  Segundo o Boletim Epidemiológico HIV/AIDS da Secretaria de Estado de Saúde-RS, embora tenha registrado uma queda de 9,4% na taxa de detecção de casos de AIDS, o estado ocupa o 2º lugar no ranking com 31,8 casos a cada 100 mil habitantes. E ainda exibe a maior taxa de mortalidade por AIDS do país (9,6 casos de óbitos para cada 100 mil habitantes) e lidera o ranking entre as capitais, com 22, 4 óbitos para cada 100 mil habitantes em Porto Alegre.

Estes dados associados ao atual cenário político brasileiro fortemente conservador atuam como um sinal de alerta. Em pouco mais de seis meses, o novo governo protagonizou o desmonte do programa de AIDS no país. E, no lugar de reforçar e ampliar a resposta brasileira – outrora exemplo para o mundo – o país tem sido conduzido a um retrocesso sem precedentes na história da epidemia da AIDS.

A 4ª edição do Aprimorando o Debate III vai propor uma atualização e reflexão sobre discussões e problemáticas no campo da assistência e linhas de cuidado para as pessoas vivendo com HIV/AIDS no Brasil. Os debates levarão em consideração os aspectos biomédicos, sociais, psicológicos e psicossociais da epidemia e trabalhando questões como direitos humanos, saúde mental, apoio jurídico, direitos sexuais e reprodutivos entre outras pautas.

A programação também incluirá exibição do documentário Pills Profits Protest: a chronicle of the Global AIDS Movement, que trata de forma apaixonante e oportuna o ativismo em defesa do tratamento do HIV/AIDS, e a participação do poeta Ramon Nunes de Melo, que organizou a antologia sobre o HIV/AIDS “Tente entender o que tento dizer”, e a escritora e poetisa trans Atena Beauvoir Roveda, autora do elogiado “Libertê: poesia, filosofia e transantropologia”.

Para esta 4ª edição, o evento vai oferecer 18 bolsas a participantes originários do Espírito Santo, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. Os/as bolsistas foram escolhidos/as via processo seletivo de bolsas e receberão passagem, hospedagem e alimentação custeados pela organização.

O Projeto Aprimorando o Debate III é uma iniciativa da ABIA para a realização de quatro seminários de capacitação nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. O objetivo é abordar algumas das principais áreas de atividades relacionadas ao HIV e AIDS por meio de uma metodologia dinâmica e interdisciplinar através da participação de gestores, profissionais de saúde, pesquisadores e representantes de ONGs, redes e movimentos que atuam com a pauta do HIV/AIDS. A instituição conta também com o apoio de uma comissão local, formada por professores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e PUC-RS, gestores estaduais e ativistas do Fórum de ONGs AIDS-RS.

Já foram realizados três seminários cujos temas foram considerados cruciais para a resposta à epidemia no país. São eles: “ONGs, Sociedade Civil e Mobilização Social” (no Rio de Janeiro); “Estigma, Pânico Moral e Violência Estrutural” (em Porto Alegre) e “Desafios da prevenção do HIV/AIDS e das ISTs na quarta década de epidemia (Rio de Janeiro). A atividade é uma ação da área de Treinamento e Capacitação da ABIA.

SERVIÇO

ASSUNTO: 4ª edição do Seminário de Capacitação em HIV – Aprimorando o Debate III sobre o tema “Assistência e Linhas de Cuidado”
DATA: 21 a 23/08
HORÁRIO: variado (manhã e tarde, vide programação)
LOCAL: Plaza São Rafael Hotel na Avenida Alberto Bins, nº 514

Programação:

6º Fórum de Saúde LGBT RS: Construindo caminhos para a Saúde LGBT no RS

O Fórum de Saúde LGBT RS tem como objetivo proporcionar espaços de discussão e debate sobre questões relacionadas à saúde de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A 6ª edição do fórum traz como tema Construindo caminhos para a Saúde LGBT no RS e contribuirá para o planejamento das ações em saúde para a população LGBT na Secretaria Estadual da Saúde do RS para o período de 2019-2021 aliado ao projeto de pesquisa “A Política Nacional de Saúde Integral LGBT: estratégias de análise, avaliação e formação para o aprimoramento do Sistema Único de Saúde” que tem como objetivo apoiar a implementação da Política Nacional de Saúde Integral LGBT na região sul do país, combatendo iniquidades e fortalecendo a consolidação do SUS. Para tanto, além da coordenação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, conta também com a cooperação do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, da Secretaria de Estado de Saúde do Rio Grande do Sul, da Universidade Federal de Santa Catarina e da Universidade Federal do Paraná.

Data: 31 de agosto de 2019 (sábado)
Horário: 13:30 às 17:30
Local: Auditório Escola de Enfermagem e Saúde Coletiva da UFRGS
Endereço: R. São Manoel, 963 – Rio Branco, Porto Alegre – RS, 90620-110

Programação:

13:30 – Credenciamento
14:00 – Abertura: Análise situacional dos planos estaduais de saúde 2016-2019 e a população LGBT
14:30 – Grupos de trabalho:

1) GT Implementação da Política de Saúde LGBT

2) GT Acesso da População LGBT à Atenção Integral à Saúde

3) GT Pesquisa, Ensino, Educação permanente, Educação popular em Saúde e Comunicação

4) GT Mobilização, articulação e gestão participativa

16:30 – Apresentação das discussões dos grupos de trabalho
17:30 – Encerramento

As inscrições podem ser realizadas pelo link abre.ai/forumlgbtrs ou no local.

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis

Novo Protocolo de IST atualiza condutas e tem pela primeira vez capítulo sobre saúde sexual.

Objetivo é facilitar a conduta dos profissionais de saúde para o cuidado integral das pessoas com infecções sexualmente transmissíveis.

Pesquisadores removem vírus HIV do genoma de animais vivos

Um estudo divulgado no dia 2 pela prestigiada revista científica Nature apontou um caminho que pode levar à cura da aids. Isso porque pesquisadores dos Estados Unidos conseguiram remover o vírus HIV do genoma de animais vivos. 

A pesquisa — que pode ser acessada na íntegra no portal da publicação —foi liderada por cientistas da Escola de Medicina da Universidade Temple, no estado da Pensilvânia, e do Centro Médico da Universidade de Nebraska, envolvendo técnicas de edição de genes. Os testes foram realizados em ratos de laboratório. 

Os resultados foram animadores porque, diferente dos tratamentos que impedem a multiplicação do HIV, indicaram a possibilidade da doença ser eliminada definitivamente do organismo. 

Duas técnicas foram usadas pelos cientistas. Uma delas, chamada de Laser Art, manipula medicamentos convencionais para facilitar o acesso das drogas às membranas —  onde o vírus se isola — e retardar a dispersão do material, garantindo que ele acompanhe o ciclo do HIV.

Testes em primatas

Com a segunda técnica (Crispr), foram editados os genes das células infectadas que não foram captadas pelo Laser Art. Com os dois processos combinados, o vírus foi eliminado em 30% dos 29 ratos usados na pesquisa.

A segunda fase de testes, segundo os autores do estudo, está sendo realizada com primatas. Caso se mostre novamente bem-sucedido, o processo poderá ser repetido em humanos. 

Fonte: GaúchaZH Saúde

Fim da exigência de reavaliação pericial a aposentados por HIV/Aids

Portadores de HIV/Aids aposentados por invalidez estão dispensados de reavaliação pericial. A regra está prevista na Lei 13.847, publicada na sexta-feira (21) no Diário Oficial da União.

A norma foi promulgada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, depois que o Congresso rejeitou, no dia 11 de junho de 2019, o veto total (VET 11/2019) ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 188/2017, aprovado em abril.

O texto foi proposto pela Articulação Nacional de Saúde e Direitos Humanos, uma entidade que luta por direitos das pessoas que vivem com HIV/Aids. Apresentado pelo senador Paulo Paim (PT-RS), o projeto foi aprovado na forma de um substitutivo do senador Romário (Podemos-RJ).

O argumento da proposta é de que que a pessoa aposentada por invalidez já passou por diversos períodos de auxílio-doença, o que atesta a degradação de sua saúde e a irreversibilidade dessa condição.

Fonte: Senado Notícias

Dia dos Namorados terá exames no Largo Glênio Peres

Testes rápidos para detectar doenças sexualmente transmissíveis estarão disponíveis no Largo Glênio Peres, junto ao Mercado Público Central de Porto Alegre. Nesta quarta e quinta-feiras, 12 e 13, seis espaços com exames gratuitos e sete consultórios de atendimento estão disponíveis à população, com resultados em apenas 30 minutos e orientações de profissionais da área da saúde. A ideia da campanha Espalhe amor. Compartilhe cuidado. é aproveitar o Dia dos Namorados para estimular o cuidado com a própria saúde e de quem se gosta.

Campanha Espalhe amor compartilhe cuidado no Largo Glênio Peres.
Foto: Cesar Lopes/ PMPA

Das 9h às 17h, a programação inclui orientações de prevenção, distribuição de preservativos e atividades interativas. A campanha de conscientização promovida pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) destaca a importância dos testes rápidos para identificar a presença de infecções sexualmente transmissíveis e, em caso de contágio, dar início ao tratamento o mais cedo possível. Além disso, enfatiza o uso de preservativo na relação sexual, já que usar camisinha ainda é o método mais seguro para evitar a transmissão.

O objetivo das ações é reduzir as taxas dessas infecções na capital gaúcha. Os testes rápidos também são disponibilizados à população nas unidades de saúde de referência, incluindo pessoas em situação de rua.

Campanha pelo Dia dos Namorados no Largo Glênio Peres
Espalhe amor. Compartilhe cuidado.
Quarta e quinta-feiras, 12 e 13 de junho, das 9h às 17h
Testes rápidos gratuitos e orientações de prevenção para infecções sexualmente transmissíveis

Fonte: IMESF

ANVISA autoriza fabricação de autotestes e retoma a distribuição

Após a suspensão do serviço, mediante ao recolhimento de lotes de kits que apresentavam falhas na interpretação de resultado do teste, a ANVISA revogou a suspensão da fabricação do autoteste de HIV da marca Action, fabricado pela empresa Orange Life.

Agora o Ministério da Saúde retoma até o final de junho a estratégia de distribuição de autotestes de HIV no Sistema Único de Saúde (SUS) aos 14 municípios que participam do projeto piloto de distribuição dos kits, que havia sido interrompida até a finalização da investigação da ANVISA. Participam da estratégia inicial de distribuição as cidades de São Paulo, Santos, Campinas, Piracicaba, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, São Bernardo do Campo, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis, Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte, Manaus.

Os autotestes de HIV são testes de triagem e, portanto, os resultados não podem ser utilizados para o diagnóstico definitivo. Em caso de resultado positivo, o Ministério da Saúde orienta que o usuário busque o serviço de saúde para testes complementares.

Fonte: aids.gov.br

Ministro da Saúde fala sobre a recente reestruturação do departamento de HIV/AIDS

Na segunda-feira (27), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, compareceu ao programa Roda Viva e no primeiro bloco as campanhas de prevenção às infecções sexualmente transmissíveis ganharam destaque.

Mandetta defendeu. “O que existe são doenças crônicas transmissíveis, como o HIV, a tuberculose e hanseníase. As três marcadas pelo mesmo grau de preconceito e de dificuldade em realizar tratamentos continuados de longa data. A tuberculose, sendo a doença mais associada ao HIV e a hanseníase que ainda somos um dos principais países.”

Assista abaixo o programa completo: